sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

Ruas esquecidas de Ubatã: Rua Cachoeirinha da 31 de Março


Rua de pobre
.
Rua de pobre não carece asfalto:

pobre não tem automóvel...

Rua de pobre não carece luz:

pobre deita cedinho...

Não precisa também numeração:

não vem carteiro, não vem telegrama, não passa lixeiro.

Rua dos abandonos

O trecho do livro "Enquanto espero as rosas" Marilita Pozzoli , Ed. Henriqueta Galeno, de 1969, Fortaleza-Ceará. Se encaixa muito bem a realidade atual da Rua da cachoeirinha da 31 de março em Ubatã.


Onde os moradores sofrem com mato alto e clamam por uma passarela digna, para atravessar o rio água branquinha.


O Site Ubatã Sul Notícias foi conhecer de perto o drama dos moradores da  rua cachoeirinha e ouviu atentamente as suas reclamações:


"A gente aqui é esquecido nessa (pinguela) é feio chamar a rua assim, né!?


Pois então, os políticos já estiveram aqui, já sabem do nosso sofrimento prometeram fazer uma ponte que até hoje não chegou!


Tem muitas crianças e gente idosa que já caiu nesse rio (podi), eu mesmo já cai e tive que voltar para casa e trocar de roupa, Olha só se isso é vida de quem é trabalhador!


Ano de eleição é esse ano, né? Ai eles chegam com a cara de B** para pedir voto." 


Disse... o morador da rua senhor Josafá Pinheiro, conhecido como Josá.




Outro morador que curiosamente é filho de um vereador da cidade, também reclamou da falta de atenção dos governantes:


"Aqueles milhões que eles anunciaram nos outdoors, se fosse eu que pegasse naquele dinheiro fazia todas a pontes que a cidade precisa e ainda limpava todo o rio Água Branquinha. 


Mais olha para isso ai! Olha a altura do mato, nem a limpeza eles se preocupam de fazer." 
Disse...

O próprio morador chegou a gravar um vídeo mostrando o que acontece com a frágil ponte de madeira improvisada por eles, quando a chuva é muito forte.








Nenhum comentário:

Postar um comentário