Estudante de Medicina comanda esquema milionário de pirâmide em Jequié

|

 

Henrique Sepúlveda acumulou quase R$ 7 milhões; mais de 150 pessoas investiram 

O empresário Roberto**, 31, sem experiência na bolsa de valores, guardou suas economias e decidiu, pela primeira vez, investir. O que não esperava era que não ia mais ver aquele dinheiro. Ele, assim como outras 150 pessoas de Jequié foram vítimas de um esquema de pirâmide, tipificado como crime no Brasil desde 1951. Pelo menos 40 delas já abriram boletim de ocorrência na delegacia da cidade.

O suposto golpista é um estudante de medicina, que depôs na 9ª Coorpin de Jequié, na tarde desta quarta-feira (1). Ao longo de dois anos, ele acumulou quase R$ 7 milhões, com investimentos de terceiros e a promessa de lucros de até 20% por mês, sem prejuízos no final do contrato, de duração mínima de 90 dias. A empresa que intermediava as transações está no nome dele, ativa desde 2020, a Safe Intermediações.


O empresário Roberto tomou coragem para investir depois de ver amigos terem altos rendimentos mensais. Para conseguir uma renda extra, ele aplicou R$ 60 mil, entre janeiro e agosto de 2021, com a promessa de que o retorno seria de 5% ao mês. Só que esses rendimentos começaram a atrasar e, de repente, o estudante parou de responder e sumiu.

*Correio 24h 

0 comentários:

Postar um comentário

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Ubatã Sul Notícias. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

 

©2011 Ubatã Sul Notícias: Confiança e credibilidade nas notícias | Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Davii Alvarenga - Leme Produtora