domingo, 22 de novembro de 2020

Violência: Bahia acumula indicadores negativos durante desgoverno Rui Costa

 


O ano ainda não fechou seu ciclo dos 12 meses, entretanto, se fosse feito um retrospecto de tudo que ocorreu no estado em 2020, até a presente data, infelizmente será identificado que a gestão Rui Costa continua a protagonizar indicadores e números negativos para a Bahia nas mais diversas áreas. O deputado estadual Capitão Alden, vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos e Segurança Pública da Assembleia Legislativa da Bahia, única voz em oposição ao desgoverno Rui Costa, continua a ressaltar que o atual governador não tem compromisso com os baianos.  

 

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), a Bahia não atingiu meta do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2019, tendo o 3º pior desempenho do país entre alunos do Ensino Médio. A divulgação foi feita pelo MEC no segundo semestre deste ano. 

 


Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no levantamento divulgado em agosto de 2020, a Bahia teve a maior taxa de desemprego do Brasil, o que representava na época 4,876 milhões de trabalhadores sem emprego no estado. O IBGE apresentou também o indicador que desde 2012 a Bahia não apresentava números tão negativos como o alcançado este ano. 

 

Em outra pesquisa também divulgada este ano, o IBGE  apresentou que quatro em cada dez moradores da Bahia (40,4% da população) estavam abaixo da linha da pobreza em 2019, segundo a Síntese de Indicadores Sociais (SIS) 2020. Pouco mais de 1 em cada 10 (12,5%) estavam abaixo da linha da extrema pobreza. Com isso, a Bahia tem o segundo maior número absoluto de pobres do país (6,006 milhões) e o maior número de extremamente pobres (1,853 milhão). 

 

Por último, mas não menos importante, o Atlas da Violência 2020, um documento produzido pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, divulgou que pelo quarto ano seguido Bahia lidera o ranking de número de homicídios no Brasil. De acordo com o levantamento, de 2015 a 2018, por exemplo, 27.457 pessoas foram assassinadas no estado.

 


Um comentário: