Advogado compra carro com placa GAY, pede para trocar e justiça recusa

|

 

Foto: Reprodução


O advogado alegou que a placa poderia causar situações de constrangimento, mas a justiça recusou o pedido pois omitir as letras GAY põe fim no preconceito


As placas de licenciamento são itens técnicos que todo carro precisa ter para pode rodar legalmente pelas ruas brasileiras. Porém o brasileiro é supersticioso e prefere evitar algumas combinações de números e letras, ou tenta conseguir alguma que lhe agrade.


Um advogado do Distrito Federal comprou um carro usado em São Paulo, quando foi transferir o veículo pediu ao Detran-DF uma nova combinação por considerar a placa original do carro “tem lhe ocasionado situações constrangedoras por onde transita, oriundas de atos homofóbicos.” E qual é essa combinação? As letras G-A-Y.O


O parecer da justiça sobre a placa GAY

O estado de São Paulo originalmente era o detentor das iniciais BFA a GKI desde o início do padrão de placas cinzas adotado a partir de 1990, a combinação GAY está dentro desse rol. O advogado primeiro pediu ao Detran-DF a mudança da combinação, mas foi recusado.

Com a recusa ele pediu ação para o Departamento Nacional de Transito (Denatran), porém foi respondido que não existe previsão legal para tal mudança. Mudanças no licenciamento de um veículo só são permitidas em caso de carros clonados.

O passo seguinte do advogado foi recorrer a justiça com um processo exigindo a mudança da placa. Na primeira instância o juiz exigiu que o Detran-DF mudasse a placa do advogado, porém o departamento de transito entrou com recurso. O processo foi então para a segunda instância.

O colegiado frisou que o advogado havia conhecimento da combinação na hora da compra do veículo e a legislação não permite tal mudança, salvo a exceção para veículos clonados. Outro ponto ressaltado foi:

"a exclusão dos caracteres designativos da palavra ‘GAY’ da placa do veículo não constituem proteção contra práticas homofóbicas, como equivocadamente sustenta o recorrente. Pois não se é escondendo, mascarando a grafia associada a uma orientação sexual que se extirpa o preconceito, mas através de políticas de educação e conscientização da população"

(Auto papo) 

0 comentários:

Postar um comentário

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Ubatã Sul Notícias. É vetada a postagem de conteúdos que violem a lei e/ ou direitos de terceiros. Comentários postados que não respeitem os critérios podem ser removidos sem prévia notificação.

 

©2011 Ubatã Sul Notícias: Confiança e credibilidade nas notícias | Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Davii Alvarenga - Leme Produtora